Dólar oscila sem direção definida com “briga da ptax” e debate americano

Debate eleitoral repercute de forma negativa no mercado, mas dados econômicos saem melhores do que o esperado.

O dólar oscila sem direção definida contra o real nesta quarta-feira, 30, apesar da desvalorização da moeda americana perante divisas emergentes. O movimento tem influência “briga da ptax” de fim de mês, com o vencimento de contratos futuros de dólar. Às 13h54, o dólar comercial permanecia praticamente estável, sendo negociado a 5,639 reais na venda.“No último dia do mês existe uma manipulação de preços no dólar futuro em que os vendidos tentam diminuir a taxa de câmbio, enquanto os comprados tentam subir para que consigam maiores retornos no encerramento do contrato. Então há uma maior movimentação nas janelas da ptax”, explica Jefferson Laatus, estrategista-chefe do Grupo Laatus.

No radar dos investidores estão dados econômicos da China e dos Estados Unidos, que vieram melhores do que o esperado. No país asiático, os índices de gerente de compras (PMIs, na sigla em inglês) vieram todos acima dos 50 pontos que delimitam a contração da expansão da atividade, indicando que a segunda maior economia do mundo segue em recuperação acelerada,embora em ritmo mais lento, a recuperação da economia americana também deu sinais de reação, com o indicador de variação de empregos do instituto ADP apontando para a criação de 749.000 postos de trabalho em setembro ante a expectativa de 650.000. 

Os dados do mês anterior também foram revisados para cima. O PIB americano do segundo trimestre também foi revisado de forma positiva, de contração de 31,7% para 31,4% na comparação trimestral os investidores também repercutiram de forma negativa o primeiro debate presidencial dos Estados Unidos. Classificado como caótico pela imprensa americana, o embate entre Donald Trump e Joe Biden foi marcado por acusações de ambos os lados e muitas interrupções,embora conturbado, pesquisas feitas pela CNBC e CNN apontaram Biden como vencedor, o que, segundo Laatus, contribuiu para o tom negativo dos mercados internacionais.

 “Durante o debate, o [índice americano] S&P 500 futuro até subiu, mas, quando veio o resultado das pesquisas, ele caiu de vez. O mercado não é pró-Biden.”.Gustavo Cruz, estrategista-chefe da RB Investimentos, resumiu o debate como “confuso”. “O eleitor americano que não sabia em quem votar antes do debate, soube ainda menos depois”, comenta no exterior, o dólar se desvaloriza contra as principais moedas emergentes, mas sobe perante as desenvolvidas, com o índice Dxy interrompendo a sequência de quedas. Nas bolsas de valores, os principais índices de ações operam no negativo, repercutindo o debate eleitoral.

Fontes:Exame

Nenhum comentário: