Dólar sobe para máxima em mais de um mês com temor sobre teto de gasto

 Mercado repercute possível saída de Paulo Guedes e substituição por presidente do Banco Central.

O dólar sobe nesta segunda-feira, 17, repercutindo uma possível saída do ministro da Economia, Paulo Gudes, do governo. Embora parte do mercado ainda veja a chance como remota, os rumores vêm aumentando com a aproximação do presidente Jair Bolsonaro com a denominada ala dos “fura-teto”.Às 13h30, o dólar comercial subia 1% e era vendido por 5,483 reais — o maior patamar desde 30 de junho. Com variação semelhante, o dólar turismo era cotado a 5,78 reais.

Com a aprovação em alta, Jair Bolsonaro irá percorrer 11 estados do Norte e Nordeste junto com o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, considerado o líder da ala. Na semana passada, o presidente também afirmou que a “ideia de furar o teto existe”, menos de 48 horas após afirmar, junto com os presidentes da Câmara e do Senado, o compromisso de manter os gastos públicos abaixo do teto,o nome do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, já vem sendo sondado para assumir o cargo, caso Guedes saía do governo.

Para Tulio Portella, diretor comercial da B&T, a saída de Guedes é negativa, mesmo se o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, assumir o ministério. “Caso isso ocorra, será bem impactante para a continuidade do plano econômico do governo, mas o mercado ainda não assimilou esse [possível] cenário de caos.”.Jefferson Ruik, diretor de câmbio da Correparti, vê em Paulo Guedes um “pilar do governo” e sua saída como prejudicial para o mercado, embora considere Campos Neto um bom nome. “O presidente do BC tem credibilidade forte no mercado financeiro. Se ele entrar, terá de fazer o que o Guedes tentou e não conseguiu”, disse.

Fontes:Exame

Nenhum comentário: