Após fazer "pé-de-meia", Lucão volta ao Goiás sem se arrepender de ter saído: "Foi uma escolha"

Mesmo com poucos jogos em 2019, atacante avalia que passagem pelo futebol do Kuwait e pelo Fluminense foi importante financeiramente; ele espera retomar o prestígio no Verdão em 2020.
Autor de 21 gols na temporada de 2018, Lucão foi campeão goiano daquele ano e peça fundamental na campanha do acesso do Goiás na Série B. Após ficar longe do clube em 2019, o atacante volta a vestir a camisa esmeraldina. Ele foi apresentado na tarde desta sexta-feira pelo diretor de futebol Túlio Lustosa aos 28 anos, Lucão retorna com vínculo até o fim da temporada e espera retomar o prestígio que tinha na primeira passagem. Apesar de ter disputado apenas 10 jogos ao longo de 2019, o jogador conta que não se arrepende de ter saído do Goiás para jogar no futebol do Kuwait. Na volta ao Brasil, passou ainda pelo Fluminense, de forma bem discreta.

Futebol é assim. Às vezes, a gente busca novos ares e acaba não dando certo. Fui muito feliz aqui e poderia ter permanecido, mas naquele momento optei por sair. Respirar novos ares e fazer um pé-de-meia, ganhar dinheiro para minha família. Foi um ano atípico, pois acabei machucando e não jogando muito. Quando voltei, já tinha outros atletas em melhor momento. Mas faz parte do futebol e sou grato por estar aqui de volta. Não me arrependo. Naquele momento, foi uma escolha que eu fiz. Era o melhor para mim - analisou o atleta em tese, Lucão terá a concorrência de Rafael Moura na briga pela vaga de titular. O "He-Man" terminou 2019 em alta, e os dois centroavantes lutarão pela camisa 9. Lucão, porém, despista sobre essa disputa e deixa a decisão nas mãos do técnico Ney Franco.

Isso fica a critério do Ney. Somos dos jogadores de presença de área. Tem o Henrique (Almeida) também. Mas o futebol é dinâmico, temos que cumprir funções dentro de campo. O que o Ney impor para nós, vamos nos entregar de corpo e alma. Espero ajudar como em 2018 os 21 gols marcados em 2018 configuram recorde na carreira de Lucão. Em nenhuma outra temporada o atacante balançou as redes tantas vezes - a segunda melhor foi em 2017, quando fez 10 pelo Cricíuma. Na volta ao Goiás, ele espera recuperar o oportunismo, mas evita estipular um número específico a ser alcançado pretendo brigar muito por espaço, para jogar e ajudar a dar alegria à torcida. Quando cheguei em 2018, o retrospecto não era bom. O torcedor não merece sofrer. Prefiro não falar em números, mas vou brigar para fazer mais gols do que já fiz - projeta.

Fontes:G1

Nenhum comentário: