segunda-feira, 20 de maio de 2019

Associação reúne autoridades para debater repasses do Minha Casa Minha Vida para Goiás

Segundo associação dos construtores, em torno de 3 mil contratos estão parados esperando verbas do governo federal.
A Associação dos Construtores do Estado de Goiás (Aceg) reuniu autoridades na manhã desta segunda-feira (20) para debater repasses para o Minha Casa Minha Vida. Os construtores informaram que existem cerca de 3 mil contratos parados esperando verbas do governo federal no estado. Eles avaliam que existe um déficit de 20% ente o déficit habitacional calculado pelo Ministério do Desenvolvimento e o que eles observam.

O construtor gasta todo dinheiro com o empreendimento, deixa a casa pronta e documentada e só aí faz financiamento para o cliente. Para isso, a Caixa tem que liberar os recursos do programa. Tem ao menos 2 mil contratos parados no banco e outros 1 mil esperando", explicou o presidente da Aceg, Fábio Candine,ainda segundo Candine, foram repassados R$ 5 milhões para o estado pelo programa em março, mas o valor é insuficiente para atender à demanda. 

De acordo com ele, desde outubro esses contratos estão sendo feitos e não são assinados,a diferença entre o que o ministério repassa e a verdadeira demanda do estado também é citada pela representante regional de habitação da região sul de Goiás, Esteliana Modesto."Não temos dados de valores e números, mas a quantidade de pessoas que ainda precisa dessa habituação é maior do que vem sendo previsto. Quando a gente contrata e faz as vendas, a gente nota que o número é um pouco maior", explicou.

Fontes:G1

Nenhum comentário: