CDTC aprova aumento da tarifa de ônibus na Grande Goiânia para R$ 4,30

Reajuste foi de 7,5%, aprovado por 6 votos a 2 em reunião. Previsão é que novo valor passe a valer a partir das 5h de sexta-feira (19).
A Câmara Deliberativa do Transporte Coletivo (CDTC) se reuniu na manhã desta quarta-feira (17) e, por 6 votos a 2, ficou aprovado o aumento do valor da passagem de R$ 4 para R$ 4,30 na Grande Goiânia,o reajuste foi de 7,5%. Previsão é que novo valor passe a valer a partir das 5h de sexta-feira (19).A reunião começou por volta das 10h40 e ocorreu a portas fechadas no Paço Municipal. A CDTC é formada por 11 membros, os quais têm direito à votação, entre eles o prefeito de Goiânia, Iris Rezende (MDB). 

O presidente da CDTC, Jânio Darrot, que também é prefeito de Trindade, só vota em caso de empate,votaram a favor do reajuste o presidente da CMTC, Kennedy Machado, a secretária de Meio Ambiente da capital, Andreia Vulcanis, o prefeito Íris Rezende, o secretário de Trânsito Fernando Santana, o secretário de Planejamento Henrique Alves e o vereador de Trindade Agnelson Alves (PV).Foram contra o aumento: o vereador da capital Lucas Kitão (PSL) e o deputado estadual Alysson Lima (PRB).

Faltaram ao encontro o prefeito de Aparecida de Goiânia, Gustavo Mendanha (PMDB) e o presidente da Agência Goiana de Regulação (AGR) Eurípedes Barsanulfo,a proposta sofreu forte rejeição da Assembleia Legislativa e da Câmara Municipal. Os representantes das duas Casas na CDTC, deputado Alysson Lima e vereador Lucas Kitão, já se manifestaram contrários à proposta sem que seja apresentado projetos de melhorias para o transporte públicos,o presidente da CDTC disse que estão sendo debatidas mudanças para melhorar a qualidade do serviço."O reajuste é automático, todo mês de dezembro.

 Já deveria ter sido implantado, mas estamos discutindo uma série de melhorias. Acho injusto [o aumento], mas tínhamos de tomar uma decisão. Se quebrássemos o contrato e não aumentava a tarifa, nós poderíamos estrangular o sistema", disse Darrot,o deputado Lucas Kitão reclamou da forma como a reunião foi conduzida e disse, em tom de ironia, que o aumento era o "presente de Páscoa" que estava sendo dado ao povo goianiense.

"Foi uma reunião truculenta, conduzida com pouco de autoritarismo e a gente ficou um pouco sentido de não poder discutir as deliberações,simplesmente encaminharam a nós uma carta de intenções, simplesmente histórias a se contar. Aumento passou e não foi discutido nenhuma melhoria, infelizmente", reclama já o vereador Alysson Lima afirmou que a reunião foi de "faz de conta" e teve um aspecto "tirano" por não discutir as melhorias no transporte, mas somente o valor da tarifa. O político afirmou que recorrerá judicialmente para tentar reverter a situação."Saio com sentimento de frustração. Esperaram a Véspera de feriado religioso para colocar essa fatídica pauta. Estou saindo agora é já temos um processo pronto para protocolar contra o aumento da tarifa", desabafa.

Fontes:G1

Nenhum comentário: