sexta-feira, 18 de maio de 2018

Em meio a tensão, Venezuela vai às urnas no domingo

Eleição é marcada por tentativa de boicote da oposição
As conturbadas eleições presidenciais venezuelanas acontecem no próximo domingo (20), em um cenário de crise e tensão,o atual líder do país, Nicolás Maduro, é candidato à reeleição e tenta renovar seu mandato por seis anos. Seu último comício foi realizado nesta quinta-feira (17), com a presença do ex-craque argentino Diego Maradona. A oposição prega o boicote à corrida presidencial.

No entanto, essa posição não é unânime entre todas as forças anti-Maduro. O principal adversário do presidente é o dissidente chavista Henri Fálcon, hoje filiado ao partido de centro-direita "Avançada Progressista".Ele decidiu romper o boicote pregado pela Mesa da Unidade Democrática (MUD), principal aliança de oposição e impedida de apresentar um candidato.

Além deles, estão na disputa o pastor Javier Bertucci e o postulante mais "discreto" da corrida, Reinaldo Quijada,a maior desafio que o futuro presidente enfrentará é a crise econômica no país, com uma inflação que atinge os 700%. Nesta semana, a empresa de alimentos dos Estados Unidos Kellogg's encerrou suas atividades no território venezuelano, devido à "degradação" de sua economia.

Outro ponto crítico é o alto índice de evasão de cidadãos venezuelanos. De acordo com uma pesquisa da Organização Internacional para as Migrações (OIM), 1,6 milhão de habitantes vivem fora do país. Neste contexto, o governo Maduro decidiu fechar as fronteiras venezuelanas até a próxima segunda-feira (21).

O pleito também ocorre em meio ao temor da abstenção de votos, a suspeitas de fraude e à violência em centros de detenção. Nesta semana, pelo menos dois confrontos ocorreram em cadeias que abrigam prisioneiros políticos,ainda que as eleições ocorram no domingo, o eleito iniciará seu mandato somente em 2019. 

Fontes:Ansa

Postar um comentário