domingo, 5 de fevereiro de 2017

Super Mario World Brasileiro supera próprio recorde mundial e zera o jogo em 1 minuto

Matheus Furtado é especialista em terminar jogos da forma mais rápida possível
Qualquer um que jogou Super Mario World quando criança deve ter demorado dias, talvez semanas para terminar o jogo. Tudo o que Matheus Furtado precisa para zerar o clássico de Super Nintendo é 1 minuto, 13 segundos e 32 milésimos. Com esse o tempo, o brasileiro superou o recorde mundial no jogo, algo que ele mesmo tinha estabelecido alguns meses atrás.

Matheus, também conhecido como Furious, é um speedrunner – aqueles jogadores que tentam zerar jogos da forma mais rápida possível, seja por pura habilidade ou se aproveitando de bugs e glitches. Foi com essa última opção que ele conseguiu terminar o game em um tempo tão impressionante.

Existem diferentes categorias de speedrun para Super Mario World e a que o brasileiro conseguiu o recorde se chama 0 Exit ou credit warp, que usa alguns glitches para enganar o software do jogo, logo na primeira fase, e pular direto para os créditos finais. Você pode ver Furious quebrando o recorde.(veja o vídeo aqui)

O principal desafio está em ativar os glitches, porque é preciso realizar comandos e ações rapidamente e de forma precisa, como pegar certos cascos vermelhos e fazer o Yoshi cuspir um número de bolas de fogo. Por isso, Furious fica movimentando o Mario de um lado para o outro. Parece que ele está enrolando, mas cada movimentação é premeditada e feita conscientemente.

Fora todos esses comandos, ainda é preciso jogar com o segundo controle do Super Nintendo conectado ao videogame e com os botões L + direita + baixo + select + Y + B pressionados ao mesmo tempo. Para realizar esse malabarismo, Furious usa do jeitinho brasileiro no segundo controle, em que usa pedaços de papel e ligas para manter os botões pressionados.

No vídeo, o brasileiro joga a versão japonesa do game, mas ele fala que isso não é fator para conseguir o tempo e os mesmos glitchs podem ser feitos também no cartucho americano.

Fontes:Omelete

Postar um comentário