sábado, 28 de janeiro de 2017

Polícia Civil fecha laboratório de mídias piratas em Goiânia

Dois homens foram presos. Policiais também apreenderam 11 torres com 46 gravadores e cerca de 15 mil mídias, além de impressoras e computadores
Após investigação da Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Contra o Consumidor (Decon), dois homens foram preos pela prática de crime contra a propriedade imaterial. Jackson Ferreira Miranda Júnior e Álvaro Luiz Ferreira Miranda mantinham um "laboratório" de produção de mídias piratas.

De acordo com a Polícia Civil, os dois homens mantinham um laboratório que funcionava em uma residência localizada na Vila Santa Tereza, em Goiânia. No local, foram apreendidas 11 torres com aproximadamente 46 gravadores e cerca de 15 mil mídias, entre matrizes e cópias, além de impressoras e computadores.

Jackson estava utilizando tornozeleira eletrônica, pois já havia sido condenado pela prática do crime de roubo circunstanciado, sendo o responsável pela guarda das mídias e demais equipamentos utilizados na crime. Já Álvaro ficava por conta de reprodução e venda das mídias falsificadas.

Jackson foi recolhido na carceragem da Delegacia de Capturas.

Fontes:Mais Goiás

Postar um comentário