sábado, 28 de janeiro de 2017

Encontrado corpo de professora desaparecida após cobrar dívida de R$ 30 mil

Após ser assassinada por esganadura e com pauladas, Maria da Conceição Campos foi jogada em uma mata às margens da GO-222
Três dias após ser preso em flagrante e confessar o crime, o agente financeiro Cleudimar Rodrigues da Silva de 39 anos revelou à polícia na tarde deste sábado (28) o local onde abandonou o corpo da professora Maria da Conceição Campos, de 42 anos, que estava desaparecida desde o último dia 19. Após ser morta por esganadura e com pauladas, a professora foi jogada em uma mata às margens da GO-222 no Distrito de Goialândia, perto de Anápolis.

Foi após quase duas horas de conversa com os delegados André Fernandes, Regional de Aparecida de Goiânia, e Arthur Fleury, titular de Guapó, que o agente financeiro aceitou levar os policiais até onde havia deixado o corpo. “Fiquei conversando com o Cleudimar em pé do outro lado da grade durante uma hora e meia. Entre outras coisas falei que ele não podia trazer ainda mais sofrimento à família da professora, até que então ele concordou em colaborar”, relatou André Fernandes.

Além de levar os policiais ao local, o agente financeiro contou que inicialmente enforcou Maria da Conceição e depois acabou de matá-la com pauladas. Como quando foi preso na quarta-feira (25) o agente financeiro afirmou que o assassinato tinha sido cometido por uma outra pessoa, o delegado de Guapó vai investigar agora se realmente alguém o ajudou na execução e no transporte do corpo.
Pelo que apurou a polícia até agora, Cleudimar Rodrigues devia R$ 30 mil para Maria da Conceição, e como ela vinha cobrando o pagamento, decidiu matá-la. Ainda segundo as investigações, o agente financeiro também pretendia ficar com um veículo Corolla pertencente à professora.

Além de ter sido autuado em flagrante na quarta-feira passada após ser flagrado no Corolla, Cleudimar também teve sua prisão preventiva decretada no dia seguinte.

Fontes:Mais Goiás

Postar um comentário